Bastou um mês no Botafogo para que Emerson Sheik virasse a referência do time. Desde que chegou ao clube, o camisa sete tem se mostrado um líder dentro do grupo e apresentado eficiência com a bola nos pés. Em seis partidas disputadas, ele já marcou quatro gols, ou 0,66 por jogo, mais do que o dobro da média dos outros três principais atacantes (Ferreyra, Wallyson e Zeballos) do elenco alvinegro, que juntos têm média de 0,30.

Emprestado pelo Corinthians até o final deste ano, Emerson estreou pelo Botafogo no dia 27 de abril e balançou as redes no empate com o Botafogo, por 2 a 2. Depois, fez dois gols na goleada sobe o Criciúma, por 6 a 0, e anotou mais um neste domingo, no empate com o Vitória, por 1 a 1. A dependência alvinegra do reforço para o Brasileirão é notória. Nos três jogos em que o atacante marcou, a equipe não perdeu. Nas outras três rodadas, quando ele passou em branco, derrotas para Bahia (1 a 0), Goiás (2 a 0) e Grêmio (2 a 1).

Comparando as médias individuais dos outros atacantes do Botafogo, quem mais chega perto é o argentino Ferreyra. Mesmo assim, com cinco gols em 13 partidas, “El Tanque” tem média de 0,38, quase a metade de Emerson. Estão ainda mais atrás, Wallyson, com cinco gols em 19 jogos (média de 0,26) e Zeballos, com quatro gols em 14 jogos (média de 0,28).

Com a ausência do goleiro e capitão Jefferson, que está na seleção brasileira, Emerson assumiu a braçadeira pela primeira vez neste domingo. Depois de Sheik ter marcado um belo gol no empate com o Vitória, o técnico Vagner Mancini fez elogios e destacou a importância do experiente atleta de 35 anos, titular absoluto do time.

“Ele está feliz, contente no Botafogo e tem nos ajudado muito. No elenco também temos outros jogadores que podem exercer essa liderança. Temos tentado fazer com que cada um use a faixa de capitão na ausência do Jefferson para que possam assumir esse papel. O Emerson é um líder nato, um cara muito franco”, disse Mancini.

Nas entrevistas e nas conversas com o elenco, Emerson também mostra a sua liderança. Depois de ver a equipe ceder o empate para o Vitória em Macaé, o atacante evitou fazer cobranças mais fortes como já havia feito antes, mas apontou falhas da equipe.

“Todo atleta que entra em campo dá sua contribuição, independentemente de quem está com a faixa. Mas ainda falta, o sentimento é esse de faltar algo. Falta um pouquinho a mais, estamos falhando nos detalhes. Vamos tentar consertar durante a semana”, afirmou o camisa sete alvinegro, que atuou durante os 90 minutos nos seis jogos que fez pelo clube até agora.

Há dez dias, Sheik cobrou o time de maneira mais dura após a derrota para o Goiás, por 2 a 0. Na ocasião, ele disparou: “O Botafogo não é o melhor time do mundo, se todos não correrem com igualdade. Todo mundo tem que correr, senão fica difícil”.

A boa fase de Emerson no Botafogo contrasta com o que ele vinha apresentando no Corinthians nesta temporada. Começando a maioria das vezes na reserva, ele não fez nenhum gol nas nove partidas que disputou pelo time paulista em 2014.

Fonte: ESPN.com.br