Rodrigo Lindoso despontou para o futebol em 2010, quando brilhou com a camisa do Madureira. Na oportunidade, ele vestia a camisa 10 e despertou interesse do Fluminense. Não conseguiu a sequência esperada e pulou de time em time até chegar ao Botafogo em 2015. O início não foi fácil e o jogador se viu perseguido por parte da torcida em determinados momentos.

Em 2016 a situação mudou. O então técnico Ricardo Gomes conversou com o jogador e decidiu recuá-lo. Passou a atuar como volante e manteve a boa qualidade no passe, o que o tornou diferente dos demais atletas. A adaptação deu certo e Lindoso não voltou a sua posição de origem.

Capitão e muito mais à vontade, Lindoso tem mostrado futebol de alto nível. Neste Brasileiro, o jogador tem se infiltrado com bastante frequência, o que aumento a oportunidade de mostrar seu talento da época em que vestia a camisa 10. Foi justamente o que ocorreu no último domingo contra o Vitória, no Barradão.

Em rápido contra-ataque, Erik arrancou em velocidade e percebeu Rodrigo Lindoso passando livre pela esquerda. O passe veio na medida e o volante mostrou toda sua categoria ao dar uma cavadinha e encobrir o goleiro Ronaldo.

“Tive muita calma mesmo. Quem sabe não esquece, né? [risos]. Tenho essa facilidade para fazer gols e fico feliz que isso tenha ocorrido com frequência no Botafogo”, disse Lindoso após o triunfo em Salvador.

E de fato Lindoso vive sua melhor temporada em relação a gols marcados. São oito no ano, com seis deles marcados no Campeonato Brasileiro. Ele, inclusive, é o artilheiro do time na competição ao lado do centroavante Kieza. O volante tem mais gols que os demais atacantes da equipe, por exemplo.

Fonte: UOL