Uma foto de Carlos Eduardo Pereira, cara a cara com Maurício Assumpção e com o dedo apontando para a rua, virou o símbolo da campanha que levou o administrador de 56 anos a vencer a eleição de terça-feira. Mas a foto que melhor define o novo presidente do Botafogo não é essa, tirada em discussão acalorada durante reunião no clube, e, sim, a que ilustra seu perfil no WhatsApp: a de seu vira-lata Biriba, mesmo nome do lendário cachorro da sorte do presidente Carlito Rocha, nos anos 1940 e 50.

O dirigente possui duas paixões tradicionalmente ligadas: o Botafogo e os cães. Além de participar da vida política do clube por mais de 20 anos, Carlos Eduardo cuida dos cachorros que encontra nas ruas de Petrópolis, Itaipava e outros distritos da Região Serrana. O dirigente é fundador, junto com sua mulher, da ONG Gapa (Grupo de Assistência e Proteção aos Animais), que acolhe cachorros e gatos abandonados e lhes dá um lar.

— Toda pessoa que gosta de animais pode ter certeza que é de boa índole — elogia Antônio Carlos Mantuano, vice de futebol e um dos maiores apoiadores da chapa de Carlos Eduardo.

Apesar de calmo, Carlos Eduardo está mais para pitbull no Botafogo. Filho de sócios conhecidos, ele fez parte do grupo que devolveu General Severiano para o clube. Em 1994, elegeu-se vice-geral de Carlos Augusto Montenegro, mas rompeu com o dirigente ainda no primeiro ano. Desde então, fez oposição às diretorias que se sucederam. Bebeto de Freitas e Maurício Assumpção chegaram a contar com seu apoio. Algo que não durou muito.

— Não que não seja político, mas ele tem perfil mais técnico. Está sempre preocupado com o cumprimento de metas orçamentárias. Foi por isso que brigou com o Maurício naquela reunião — contou Gustavo Noronha, seu homem de confiança no futebol.

Desta vez, bem ou mal sucedido, é Carlos Eduardo quem irá encarar oposição. Mas, ao menos por enquanto, mesmo os opositores preferem exaltar suas virtudes.

— É um cara seriíssimo, correto. Quanto a isso estou tranquilo. Mas às vezes a gente tem que ter outras qualidades, como a capacidade de ouvir. Torço para que ele mostre isso — disse Montenegro.

Fonte: Extra Online