Mais um problema para o Botafogo: o atacante Jobson não apareceu para treinar na manhã desta quarta-feira, no Engenhão. Durante toda a manhã, o clube se mobilizou para tentar encontrar o jogador, que não respondeu contatos telefônicos. Somente no período da tarde, o advogado de Jobson revelou o destino do camisa 10 alvinegro, titular da equipe na reta final do Campeonato Brasileiro.

O jogador está preocupado com julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e preferiu se ausentar da atividade para discutir o caso. Ao lado do advogado Rodolpho Cézar, Jobson discutia estratégia para se livrar de punição no Pleno do STJD por ter rejeitado fazer exame de doping na Arábia Saudita, quando defendia o Al-Ittihad. Esta é a versão apresentada por Wilson Gottardo, diretor técnico do Botafogo.

O dirigente minimiza mais um episódio polêmico da carreira de Jobson e vê a situação do jogador como “normal”, sem implicações em seu futuro no time. Uma possível saída da equipe titular é apontada como “assunto a ser resolvido pela comissão técnica”. Reintegrado em meados de setembro, Jobson já acumulou mais problemas em seu curto retorno ao clube.

Ele demorou pouco mais de um mês para fazer sua estreia pelo Botafogo, e sua participação esteve muito aquém do que diretoria, comissão técnica e torcida esperavam. O time não ajudou, evidentemente.

Prova disso é que Jobson sequer balançou as redes. Pelo contrário. Com o jogador em campo, o Botafogo sofre para fazer gols. Tanto que Wallyson, antes de se machucar, foi o principal nome da equipe, mesmo com o polêmico atacante ao lado.

Como não poderia deixar de ser, Jobson se envolveu em polêmicas nesse pouco tempo de Botafogo. Inicialmente teve que se livrar juridicamente de uma punição por doping na Arábia Saudita, quando defendia o Al-Ittihad. Liberado ele foi mal até perder o pênalti contra o Figueirense e ser acusado pelo técnico Vagner Mancini de ser “irresponsável” na forma como bateu.

O confronto entre técnico e jogador foi ao vestiário, com a dupla tendo que ser separada para evitar vias de fato.

Em meio à luta desesperada do Botafogo para se manter na elite do Campeonato Brasileiro, Jobson tem mais um capítulo em sua briga pessoal no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O seu caso será julgado nesta quinta-feira pelo Pleno, que analisará a sua condição de jogo por causa da punição recebida pelo atleta na Arábia Saudita.

O Alvinegro tem 33 pontos no Brasileiro e, na 19ª colocação, não vence há cinco rodadas. Se um dos concorrentes diretos – Palmeiras – vencer ou empatar seu jogo no sábado, o Botafogo entrará em campo no dia seguinte somente para cumprir tabela. Um resultado positivo contra o Santos, fora de casa, não será capaz de evitar a queda para a Série B.

Fonte: UOL