Titular absoluto do Botafogo, Rodrigo Lindoso é um dos pontos de equilíbrio do meio de campo alvinegro. Apesar de dividir opiniões na torcida, o meia é o vice-artilheiro do Glorioso na temporada, com oito gols. O detalhe é que Lindoso é primeiro volante. Treinador do meia no Madureira, Antônio Carlos Roy demonstra surpresa com o rendimento dele na nova função. Entretanto, o técnico comemora o amadurecimento de Lindoso no Alvinegro.

“A gente vê com surpresa o Lindoso nesta função de primeiro volante. Porque ele sempre jogou mais adiantado, pois tem facilidade para fazer gols e dar bons passes. Mas eu vejo com alegria essa adaptação dele a uma nova posição. Isso demonstra que ele tem muita maturidade e que está pronto para ser um dos principais jogadores do Botafogo”, disse Antonio Carlos Roy.

Embora, jogue mais recuado no Botafogo, Rodrigo Lindoso era uma das peças principais do Madureira, atuando com mais liberdade. Centro criativo da equipe, o meia era um dos destaques da equipe campeã da Taça Rio de 2015. Antônio Carlos Roy comenta sobre o estilo de jogo de Lindoso e exalta a qualidade técnica do meia.

“Quando subimos o Lindoso, em 2010, nós víamos nele um jogador de muita qualidade técnica. Nos juniores, ele jogava como 8 e como 10. Quando ele veio para o profissional, ele passou a jogar como segundo, terceiro homem de meio campo, num esquema com três volantes. A ideia era que ele tivesse mais liberdade, já que ele não marcava tão bem. Hoje, a gente vê a mudança dele e fica muito feliz, porque ele tem demonstrado toda a capacidade dele, mesmo que numa posição diferente”, disse o treinador.

“Lindoso tinha algo diferente”

Apesar de se surpreender com a mudança de função de Rodrigo Lindoso, Antônio Carlos Roy afirma sempre imaginou que o meia teria sequência em um time grande. O treinador diz que os bons jogos contra times grandes, nos tempos de Madureira, demonstravam que Lindoso não sentiria a pressão de jogar num gigante do futebol brasileiro como o Botafogo.

“Eu lembro que num jogo da Taça OPG, nos juniores, nós vimos o Lindoso, junto do Michel (volante do Grêmio) e do Bruno Tiago (volante, ex-Botafogo). Eles se destacaram e subimos os três para o profissional. E o Lindoso já tinha algo diferente. Logo depois, ele se tornou nosso principal jogador e capitão. O Márcio (Bittencourt, assistente de Roy) me chamou atenção à postura dele em jogos grandes. Como ele chamava a responsabilidade nessas partidas. E isso me fez ver que ele estava pronto para jogar num time do tamanho do Botafogo”, afirmou Antonio Carlos Roy.

Treinador comemora volta ao Madureira

Antônio Carlos Roy tem uma grande história com o Madureira. De volta ao clube, depois de quatro anos, o treinador chega com a missão de colocar o Tricolor Suburbano de volta às semifinais do Campeonato Carioca. Roy fala com confiança sobre as expectativas para 2019, logo depois uma temporada ruim do Madureira.

“Eu fiquei muito feliz em ter voltado ao Madureira, pois tivemos títulos, acesso, revelamos muitos atletas. A gente gosta muito do clube, dos funcionários. O seu Elias (Duba, presidente do Madureira), o Cleber e o Toninho (diretores de futebol) estão buscando atletas. Eles têm mostrado que vão fazer uma equipe muito forte. Viemos de uma campanha abaixo do que temos feito. Mas, a gente espera que, no próximo ano, voltemos a brigar lá em cima”, concluiu Roy.

Fonte: Esporte 24 Horas