Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Marcinho responderá por duplo homicídio culposo; perícia aponta que carro estava a mais de 60 km/h

29 comentários

Compartilhe

Marcinho, ex-Botafogo, deixa delegacia após prestar depoimento
Reprodução/TV Globo

Delegado responsável pela investigação do atropelamento que matou um casal de professores na orla do Recreio dos Bandeirantes, Alan Luxardo afirmou nesta quarta-feira que o lateral Marcinho, ex-Botafogo, responderá por duplo homicídio culposo – quando não há intenção de matar. A informação é do “G1”.

Ao contrário do que disse Marcinho em seu depoimento colhido na última segunda-feira, a perícia concluiu que o automóvel que o jogador dirigia na noite do acidente, no último dia 30 de dezembro, estava acima dos 60 km/h.

Nesta quarta, quatro testemunhas de defesa de Marcinho foram depor. Elas não estavam na hora do acidente e disseram que o atleta tinha saído de uma confraternização.

Marcinho pode ser chamado novamente para depor após o depoimento de testemunhas que afirmaram que o carro estava em alta velocidade. Uma delas disse que o automóvel guiado por Marcinho estava “costurando” no trânsito.

Uma outra testemunha ouvida pelos investigadores afirma que Marcinho passou de novo por cima de uma das vítimas ao tentar fugir do local e que o jogador poderia ter pedido ajuda para a polícia, mas fugiu.

O professor Alexandre Silva de Lima morreu no local do acidente, enquanto a esposa dele, a também professora Maria Cristina José Soares, precisou passar por cirurgias nas pernas, ficou internada e faleceu nesta terça-feira. Ambos trabalhavam no Cefet, o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca.

Fonte: Redação FogãoNET e G1

Comentários