A passagem meteórica de Jobson pelo Independente-PA chegou ao fim. O clube decidiu rescindir o contrato com o atacante, anunciado há duas semanas para a disputa do Campeonato Paraense e da Série D, após polêmicas envolvendo o atleta.

Pelo Independente, Jobson não fez gol, mas acumulou um pênalti perdido e uma expulsão em dois jogos. Ele fez sua estreia na vitória diante do Itupiranga, por 1 a 0, pela sexta rodada do Estadual, entrando no intervalo da partida.

A HISTÓRIA DO ‘REI’
Em seu segundo jogo, contra o Paragominas, entrou como titular, mas perdeu um pênalti e foi expulso aos 21 minutos do segundo tempo. No total, foram 111 minutos em campo com a camisa do Galo Elétrico. Depois desta partida, em que o Independente foi goleado por 4 a 1, Jobson foi flagrado em um karaokê bebendo e cantando.

“Ele foi expulso e acabou indo cantar em uma casa de show após o jogo. Muitos torcedores mostraram o vídeo e decidimos tomar esta providência de dispensar o jogador após comum acordo”, disse Deley Santos, presidente do Independente.

O mandatário garantiu que a demissão de Jobson aconteceu após comum acordo entre o clube e o atleta.

CARREIRA

Paraense, Jobson iniciou a carreira no Brasiliense. Ganhou notoriedade no cenário do futebol nacional atuando pelo Botafogo, ajudando o clube a fugir do rebaixamento no Brasileirão de 2009. Passou por clube como Atlético-MG, Bahia, Grêmio Barueri, São Caetano e Al-Ittihad, da Arábia Saudita.

O atleta coleciona polêmicas em sua carreira. Em 2015, chegou a ser banido de qualquer atividade relacionada ao futebol por cerca de três anos, quando se negou a fazer um exame antidoping, na época em quer atuava pela equipe saudita.

Fonte: Futebol Interior