Enfim, juntos. O Botafogo apresentou na tarde desta sexta-feira (16), o seu principal reforço para esta temporada: Rodrigo Aguirre. O uruguaio passou a manhã treinando no Estádio Nilton Santos antes de encarar a imprensa e, o presidente Nelson Mufarrej destacou o esforço do clube para trazer o jogador, frisando que a chegada do atacante vai aproximar a torcida da equipe.

– A própria torcida, desde o momento que o próprio Aguirre desejou ser jogador do Botafogo, fez com que nós trabalhássemos para a contratação. Era difícil em função do orçamento, pés no chão. Fomos ajustando aos poucos com ajuda do Anderson Barros, Gustavo Noronha, Felipe Neto, Montenegro, entre outros. Pessoas que ajudaram, senão não poderíamos tê-lo trazido. Ajuda de botafoguenses que querem ver o Botafogo em outro patamar. Patamar do ano passado, com Libertadores, Copa do Brasil. Tenho certeza que a torcida irá nos prestigiar cada vez mais.

O vice-presidente de futebol, Gustavo Noronha agradeceu o apoio dos investidores do Botafogo, em especial o Youtuber Felipe Neto, criador da marca “Neto’s” estampada na camisa do Alvinegro, para realizar a contratação de Aguirre.

– Somos um só, temos feito esforço para se aproximar do torcedor. Hoje mais um escolhido aqui, boas-vindas Aguirre. Seja feliz aqui. Jogador que a torcida escolheu, e ele escolheu o clube. Agradecer também investidores que ajudaram, como o Felipe Neto, que teve participação ativa. Não era um negócio fácil, empréstimo com a Udinese, queria agradecer a quem fez isso possível.

Arriscando o “Portunhol”, Aguirre falou sobre o motivo de sua escolha pelo Botafogo e a relação do clube com jogadores uruguaios (El Loco Abreu, Lodeiro, Castillo e Arévalos Ríos, recentemente).

– Quero agradecer ao presidente, vice-presidente, ao Felipe Neto. Desde o momento que me falaram de Botafogo senti o carinho de todas as pessoas. Foi uma de tantas coisas que me fizeram vir ao clube. Dessa história linda com os uruguaios. Estou muito feliz.

Aguirre admite a responsabilidade de chegar como um futuro ídolo do Botafogo, , por conta de todo o apelo do torcedor e diz que se sente preparado para cumprir às expectativas não só deles, mas pessoal.

– Sim, é uma responsabilidade linda. Eu me sinto preparado e vou trabalhar todos os dias para estar 100%, cumprindo expectativas minhas e da torcida, pois creio que tanto eu e a torcida merecemos um respeito grande.

Sobre qual a sua posição de preferência, o uruguaio não se escondeu e revelou estar acostumado a ser centroavante.

– Me sinto cômodo é centroavante, de 9. Mas obviamente que nos jogos acontecem coisas, e durante campeonato também. Posso jogar em outra posição. Mas onde posso dar o melhor de mim é de centroavante, camisa 9.

Não há previsão para a estreia do novo reforço, porém, Aguirre acredita que pode estar apto para a primeira partida do Botafogo pelo Campeonato Brasileiro, dia 15 de abril, no Rio de Janeiro, contra o Palmeiras.

– Poderia jogar na Sul-Americana pelo joelho, mas não posso pela suspensão (expulso exatamente contra o Botafogo na temporada passada, pela Libertadores). Estamos trabalhando para isso (estreia contra o Palmeiras). Temos tempo para me colocar bem fisicamente. Grande objetivo é estar pronto em um mês.

O jogador ainda vai retornar ao Uruguai para tirar o visto de trabalho internacional. Aguirre já realiza trabalhos específicos coma equipe de fisioterapia para recuperação de uma lesão em seu menisco do joelho direito.

Confira os principais trechos da entrevista de Aguirre:

Jejum de títulos nacionais do Botafogo

– Sonhamos em levantar uma copa. Como disse antes, tenho muitas expectativas, objetivos, espero em qualquer campeonato que disputar tentar ganhar. Como jogadores, temos obrigação de querer ganhar sempre.

Contato com os companheiros de equipe

– Não falamos muito pelo idioma, mas me receberam muito bem, tentam se comunicar comigo, isso ajuda muito. Ainda mais tendo companheiros que falam espanhol. Pelo carinho que recebi da torcida, esperava receber também dos companheiros.

Número da camisa

– Eu gosto do 11, jogava assim no meu primeiro time. Sinceramente, não penso em que camisa usar. Mas o primeiro que escolheria seria o 11.

Sobre o interesse do Fluminense

– Falaram com meu empresário, mas eu nunca soube. Só vi pelas redes sociais. Meu agente nunca me chamou para falar do Fluminense, a ter contato oficial do clube.

Fonte: Rádio Tupi