Após a aposentadoria de Jefferson, o Botafogo foi rápido no gatilho e trouxe Diego Cavalieri para fazer parte do elenco 2019. Ídolo do Fluminense, o goleiro tenta retomar a carreira após deixar o Tricolor no fim de 2017, e não entrar em campo pelo Crystal Palace, da Inglaterra, ano passado. Em General Severiano, o jogador terá papel fundamental ao ser o “reserva de luxo” de Gatito Fernández.

Isso porque o paraguaio tem sido frequentemente convocado para a seleção e ocorrerá a disputa da Copa América entre junho e julho. Será pouco mais de um mês para que o jogador mostre seu potencial e ratifique a confiança que a diretoria depositou em seu futebol.

O paulista teve passagem marcante pelo rival, mas deixou as Laranjeiras pela porta dos fundos. Dispensado junto a outros sete atletas no fim de 2017, não digeriu bem a medida e deixou o clube magoado. Sua última partida foi no dia 3 de dezembro deste ano, quando o Flu empatou por 1 a 1 com o Atlético-GO.

Campeão brasileiro e carioca em 2012, acionou o Tricolor na Justiça e o clube foi condenado a pagar R$ 6,1 milhões ao atleta, que ainda aguarda receber a totalidade dos débitos.

Ainda que em seu último ano tenha disputado posição com Júlio César, a saída de Cavalieri revoltou grande parte da torcida tricolor, que considerou sua demissão desrespeitosa.

Na Inglaterra, chegou para ocupar uma vaga no Crystal Palace gerada por uma lesão em um contrato de quatro meses. No período, sequer entrou em campo e ficou apenas mantendo a forma até o fim do ano.

“Foi um período complicado, de muito aprendizado e reflexão pelo que o aconteceu, da forma que aconteceu. A chance na Inglaterra surgiu por uma emergência. Mas foram apenas quatro meses. Depois da Copa não apareceu nada e fiquei esse tempo todo parado. Foi difícil, algo novo para mim, mas nunca desanimei”, disse ele em sua chegada ao Alvinegro

O primeiro contato com o atleta foi animador para o Botafogo. O preparador Flávio Tenius está muito entusiasmado com a forma de Cavalieri e com seus primeiros treinamentos. A expectativa é que Gatito tenha uma sombra em alto nível e, quando necessário, um substituto à altura.

Fonte: UOL