Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Botafogo crê que exclusão do Ato Trabalhista pode ser ‘barbárie’ e tenta voltar

35 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Botafogo crê que exclusão do Ato Trabalhista pode ser ‘barbárie’ e tenta voltar
Vitor Silva/Botafogo

Uma decisão de um desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região tirou o Botafogo do Ato Trabalhista após sete anos por não pagamento de parcelas. De acordo com o site “GE”, o clube considera que isso pode o inviabilizar e ser ‘barbárie’. Assim, tenta voltar.

O clube prometeu recorrer em instância superior e, caso não obtenha êxito, tem como plano B um segundo ato, com novos valores e parcelas maiores. A ideia é mostrar que sem o Ato Trabalhista original ficarão prejudicados os antigos credores e serão criadas novas dívidas.

Até março de 2020, o Botafogo já havia pago R$ 95,22 milhões e faltavam R$ 104,55 milhões. Esse é o valor que fica descoberto com a saída do Ato e que pode gerar penhoras imediatas.

Porém, com a pandemia do coronavírus, foram suspensas as parcelas de abril, maio, junho e julho do ano passado. Em dezembro, teve fim a suspensão, sendo necessário o pagamento. Além disso, o limite para quitação total diminuiu em um ano, o que o Botafogo não concordou, por já ter um acordo anterior. Há outras parcelas que não foram pagas no início de 2021.

Após a exclusão do Botafogo do Ato, anunciada este mês, já houve pedidos de execução de dívida de Scheidt, Marcelo Cordeiro e Everton.

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas
Comentários