Botafogo divulga balanço de 2021 com superávit de R$ 78,4 milhões; Durcesio cita redução da dívida com governo para R$ 190 milhões

100 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Jorge Braga e Durcesio Mello, CEO e presidente do Botafogo
Vítor Silva/Botafogo

O Botafogo divulgou na noite deste sábado o balanço de 2021 com um superávit de R$ 78,4 milhões, após 2020 ter acumulado um déficit de R$ 139 milhões. O documento pode ser acessado neste link.

No documento divulgado, o presidente do clube, Durcesio Mello, cita a redução da dívida histórica do clube com o Governo de R$ 418 milhões para “apenas” R$ 190 milhões – uma diminuição de 58%, após acordos. O demonstrativo cita um déficit acumulado de R$ 830,8 milhões (contra R$ 909 milhões no fim de 2020).

Além de de ter ingressado no Regime Centralizado de Execuções com base na Lei da SAF, no ano passado, o Botafogo também aderiu ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), podendo parcelar dívidas tributárias em 12 anos e dívidas previdenciárias em cinco anos.

– O ano que se iniciou nebuloso se encerra com o Botafogo de Futebol e Regatas capaz de planejar seus próximos passos com muito otimismo, não apenas no futebol, mas em todos os esportes em que o Clube compete. As sementes para o futuro Glorioso estão plantadas! – celebrou Durcesio, no encerramento do texto.

Mochilas, bolsas e carteiras da coleção FogãoNET da Estilo Piti

📜 Veja a íntegra da carta de Durcesio Mello:

O ano de 2021 ficará marcado para sempre na história do Botafogo de Futebol e Regatas.

Depois de um início difícil, com o rebaixamento do clube para a segunda divisão em um Campeonato Brasileiro atrasado por conta dos efeitos da pandemia de COVID-19, o Botafogo soube se reinventar dentro e fora de campo.

Dentro de campo, o time de futebol buscou uma recuperação épica, saindo da décima quarta colocação no campeonato para terminar o ano como Campeão Brasileiro da Série B, retornando em grande estilo à elite do futebol nacional e honrando sua alcunha de “O Mais Tradicional”.

Fora de campo, o Clube avançou na profissionalização da sua gestão, contratando profissionais experientes de outros mercados visando construir novas práticas dentro do clube. A racionalização de custos e procedimentos internos deram ao Clube as ferramentas necessárias para atravessar um ano no qual as receitas com bilheteria foram reduzidas pelas restrições sanitárias necessárias no combate à pandemia e as receitas com transmissão foram reduzidas pelo rebaixamento no campeonato nacional e pelo fim do contrato de transmissão do campeonato estadual com a Rede Globo de Televisão, ocorrido ainda no ano de 2020.

Enquanto o futebol se reorganizava e dava alguns passos atrás antes de poder dar o salto adiante, os demais departamentos do Clube também se mobilizavam e inovavam para darem suas contribuições.

Ao longo do ano, o Clube colecionou conquistas importantes. Nos esportes, além do título da Série B do Campeonato Brasileiro, o Clube também se sagrou Campeão Estadual de Remo Feminino, Campeão Estadual Sub 15 de Futebol Masculino, Campeão do Torneio Octávio Pinto Guimarães (Copa Rio Sub 20), Campeão Estadual de Futebol Feminino (na edição de 2020, que, adiada pela pandemia, só foi encerrada em 2021) e Campeão Estadual de Futsal Masculino nas categorias Sub 11 e Sub 12. Extra campo, com base na Lei 14.193/21 (Lei das S.A.F.), o Botafogo aderiu ao Regime Centralizado de Execuções – o RCE – um mecanismo que permite ao Clube reorganizar-se, protegido de penhoras que inviabilizavam até mesmo o planejamento de curto prazo, enquanto honra suas pendências com seus credores de forma ordenada e previsível para todas as partes, sob a moderação do Poder Judiciário. As dívidas tributárias e previdenciárias, excluídas do RCE, também foram endereçadas pelo Clube, que aderiu a programas de refinanciamento de dívidas com a União. O principal deles, o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), possibilitou ao Clube parcelar suas dívidas tributárias em 12 anos, e suas dívidas previdenciárias em 5 anos. No acordo fechado em 29 de dezembro, o Clube conseguiu uma redução de 58% em sua dívida histórica de 418 milhões de reais, reduzindo-a para 190 milhões de reais.

Com as dívidas equacionadas, nosso retorno à Série A do Campeonato Brasileiro foi ainda mais valioso para o futuro do Clube, abrindo as portas para a transformação do Departamento de Futebol do Botafogo em Sociedade Anônima do Futebol (S.A.F.). Assessorado pela XP Investimentos, o Botafogo encontrou um parceiro ideal para a evolução do seu projeto futebolístico, e em 24 de dezembro o Clube recebeu uma oferta nãovinculante para a aquisição das ações da S.A.F. recentemente criadas. O ano que se iniciou nebuloso se encerra com o Botafogo de Futebol e Regatas capaz de planejar seus próximos passos com muito otimismo, não apenas no futebol, mas em todos os esportes em que o Clube compete.

As sementes para o futuro Glorioso estão plantadas!

Durcesio Andrade Mello
Presidente

*Reportagem atualizada às 20h29

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas