Em ‘Acesso Total’, Carli relembra saída do Botafogo em 2020: ‘Choramos muito. Não queria estar em outro lugar’

17 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Joel Carli - Botafogo - Acesso Total
Reprodução/Globoplay

O quinto episódio da série “Acesso Total” que vai ao ar nesta sexta-feira no SporTV registra o retorno de Joel Carli ao Botafogo, após a saída conturbada em junho do ano passado. Na ocasião, o clube comunicou sua dispensa para posteriormente tentar uma rescisão amigável, situação que deixou o argentino muito magoado.

– Foi um momento que tanto eu como minha esposa, as crianças estavam em casa, choramos muito, os quatro. Porque não é só carinho e amor pelo clube, é um planejamento de vida, com um contrato a cumprir… Quando voltei para a Argentina foi um processo muito difícil. Não queria estar em outro lugar, queria estar aqui – afirmou Carli em depoimento no documentário.

Após pouco atuar no Aldosivi (ARG), Carli voltou ao Botafogo em março. No entanto, não teve oportunidades de atuar sob o comando de Marcelo Chamusca. Depois, conseguiu atuar mais com Enderson Moreira e fez sua reestreia entrando no final do jogo contra a Ponte Preta.

– Acho que foi mais difícil do que meu primeiro jogo como profissional, com 17 anos – recordou Carli, que não esconde o amor pelo clube:

– Amo esse clube, minha família toda, minha esposa, meus filhos Valentín e Avril… Eles chegaram aqui com três e sete anos, são botafoguenses doentes, não tem jeito. Gostam muito.

O episódio mostra também a vitória sobre o Brasil-RS por 1 a 0, quando justamente Carli marcou o gol do jogo, como um legítimo centroavante.

– Você precisa confirmar todos os dias porque está nesse clube. Nada melhor do que uma boa atuação, fazer gol é comemorar. São momentos únicos – contou El Capitán.

Lobby por Gatito

O quinto episódio mostra também a liderança do goleiro Gatito Fernández, que mesmo sem poder atuar ainda viajou com a delegação para o jogo contra o Coritiba, vencido pelo Botafogo por 1 a 0 no Couto Pereira. Carli exaltou o paraguaio, que ainda não renovou seu contrato e não atua desde setembro do ano passado.

– É muito difícil achar atletas que sintam esse carinho, esse amor, que se identifiquem e continuem correspondendo dentro de campo. Quando se junta tudo isso, acho que esse cara tem que ficar – opinou Carli.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas