Que o Flamengo é o queridinho da imprensa todo mundo já sabe. Agora, o mínimo que esperamos é imparcialidade, tratamento igual de todas as partes. E não é isso que está ocorrendo. E não falo só da grande imprensa, não. Falo também de outros órgãos, como o STJD, e do próprio Flamengo, quando comparamos os fatos ocorridos nas duas semifinais da Copa do Brasil – a primeira no Nilton Santos e a segunda no Maracanã.

Vamos começar pelo racismo, essa praga que ainda atormenta a nossa sociedade. Qualquer manifestação preconceituosa é abominável. Nisso, todos concordamos. Pois bem. No primeiro jogo, um idiota torcedor do Botafogo fez gestos racistas à família de Vinicius Jr. Houve grande repercussão nacional (aliás, o assunto merece repercussão mesmo, porque temos que noticiar esses casos para que eles não se repitam).

O Flamengo, olhem só, fez campanhas contra o racismo nas redes sociais, dizendo: “Somos de todos tons de pele, todos os credos, somos todos, menos alguns! Somos rubro-negros! Uma Nação! Racismo, aqui, não”. Correto. O Botafogo, por sua vez, também se manifestou no dia seguinte, inclusive por meio de nota, repudiando o ato racista de seu torcedor no Nilton Santos. Falamos sobre isso aqui no blog.

https://twitter.com/jorgeiggor/status/900920795907665920

Entretanto, no jogo da volta, um torcedor do Flamengo ofendeu um funcionário de uma empresa que presta serviço ao Maracanã com os seguintes e desprezíveis dizeres: “Vai trabalhar vendendo banana, filho de preto”. Foi detido. A Justiça impôs as mesmas sanções impostas ao torcedor do Botafogo. Fez sua parte. Mas, e o Flamengo? Alguma nota? Algum post nas redes sociais? Silêncio. Quando é com eles, não importa.

Venda de ingressos

No episódio da venda de ingressos para a torcida visitante, duas repercussões bem desproporcionais. Quando o Flamengo reclamou da demora do Botafogo de colocar os ingressos para os rubro-negros à venda no primeiro jogo (até porque a reunião de planejamento ainda não tinha acontecido), houve grande grita na imprensa. No segundo jogo, o rubro-negro descumpriu o que estava na ata, só colocou à venda os ingressos em General Severiano com um guichê no primeiro dia… E ficou nisso mesmo.

Confusão nos acessos

No primeiro jogo, o Flamengo mandou a versão e a imprensa foi na dele de que o Botafogo havia fechado os portões da torcida visitante no Nilton Santos. Depois, a PM esclareceu que rubro-negros tentaram entrar sem ingresso e teve de fechar o acesso. No jogo da volta, houve mais tumulto e portões fechados no Maracanã, com gente entrando sem pagar. Culpa do Botafogo? Ninguém acusou o Flamengo de nada, não é mesmo?

Esclarecimento importante do programa Redação SporTV sobre o jogo BOTAFOGO x Flamengo no Estádio Nilton Santos.

Posted by Botafogo de Futebol e Regatas on Friday, August 18, 2017

Rizek, do SporTV, criticou o Flamengo por ter reproduzido notícias falsas

Jogadas violentas

Na primeira partida, Rodrigo Pimpão deu uma entrada forte em Berrío e recebeu cartão amarelo. A reclamação foi geral, a ponto de Pimpão, bastante chateado, convocar entrevista coletiva para se desculpar e rebater as críticas de que era um jogador desleal.

Aí, na volta, Cuéllar dá entrada criminosa em Matheus Fernandes, a ponto de o volante não poder enfrentar o Bahia domingo, com o tornozelo muito inchado, e Rodinei também pega feio em Guilherme, que é dúvida para domingo. Na transmissão, o ex-árbitro Paulo Cesar Oliveira disse que ambos deveriam ter sido expulsos. Mas nem amarelo receberam. Pois é…

Cuéllar dá entrada criminosa em Matheus Fernandes, do BotafogoCuéllar dá entrada maldosa em Matheus Fernandes: nem cartão amarelo teve

Na segunda-feira, o STJD emitiu nota dizendo que poderia punir o Botafogo com a perda de até 10 mandos de campo por conta dos distúrbios do lado de fora do Nilton Santos – como, por exemplo, o fato do ônibus do Flamengo ter sido “apedrejado”. Nesta sexta, o Alvinegro acabou recebendo apenas uma multa. Na volta, teve briga do lado de dentro, do lado de fora, portões fechados, gente entrando sem ingresso, spray de pimenta na cara dos botafoguenses, bomba… Vamos ver se na segunda-feira que vem também irão se manifestar.

Estamos de olho. Vigilantes!

Saudações alvinegras!