Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Chamusca será o primeiro ‘cozido de técnico’. Postura do Botafogo vai viralizar

62 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Marcelo Chamusca - CRB x Botafogo
Reprodução/SporTV

O Botafogo decidiu manter Marcelo Chamusca por enquanto. A decisão parece absurda, mas vamos ver isso se repetir e muito no Brasileirão, seja na Série A, seja na Série B. O clube optar pela permanência, mas já procurar os substitutos. Além disso não se preocupa em esconder esta postura.

Se formos pensar como um profissional sério, que vê todo este cenário, o único caminho é pedir demissão. Mesmo que seja via um acordo para não perder benefícios. Mas chegamos aí a um ponto importante na permanência de Chamusca: o limite para a troca de técnicos.

Botafogo sonha com pedido de demissão de Chamusca

Durcesio Mello, presidente do Botafogo
Diretoria precisa conviver com limite de técnicos. Assim tem que pensar duas vezes antes de demissão (Foto: Reprodução/Botafogo TV)

Um clube só pode demitir dois treinadores e, o fazendo, terá que terminar a competição com um membro da sua comissão técnica fixa ou com um treinador da base no comando. Assim demitir treinador não é mais um esporte que será praticado de forma livre no futebol brasileiro.

Mas se o treinador pedir demissão a figura muda. O clube não queima esta demissão. O problema neste caso é que um técnico também não pode dirigir mais do que dois clubes em uma temporada. Logo, para aceitar pedir demissão, precisa entender o risco que corre. Assim fica claro os motivos que levam o Botafogo não ter pressa para demitir Chamusca. Mas também não acredito que ele, experiente, vá pedir demissão.

Notícias relacionadas
Comentários