Joel Carli é um caso à parte no Botafogo

47 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Joel Carli em Botafogo x Ceilândia | Copa do Brasil 2022
Reprodução/Premiere

Joel Carli completou 181 jogos com a camisa do Botafogo e se tornou o estrangeiro com mais partidas pelo Alvinegro. O mais curioso é que o argentino, que está no clube desde 2016, com um pequeno hiato em 2020, é um ídolo discreto. Na verdade Joel Carli é um caso à parte no Botafogo. Pelo menos hoje em dia.

Com Kanu, Cuesta, Mezenga, Sampaio e Klaus, Joel Carli viu a concorrência aumentar muito no Glorioso de uma hora para outro. Para piorar ainda ficou afastado por questões físicas em algumas partidas. Voltou contra o Ceilândia. Mas não é visto como titular absoluto por Luís Castro. Mas nem o português parece se incomodar com isso. Tanto que se derreteu pelo zagueiro na coletiva após a partida. Carli é importante para o Botafogo porque é.

Desde que chegou Carli mostrou liderança. Por conta disso chegou a pegar a fama para a imprensa de um jogador que criava panelas e grupos para reclamar do clube. Apenas era exposto porque alguns que deveriam liderar se escondiam. Nem os dirigentes viam Carli como problema e sim como solução. Sua liderança sempre foi saudável. Brigava apenas com quem não respeitava o Alvinegro.

No Botafogo ajudou a formar zagueiros. Igor Rabello só cresceu quando jogou ao seu lado. Gabriel idem. Kanu também amadureceu.

Ter o Carli no elenco é uma tranquilidade, pois começamos o ano com um zagueiro e provavelmente ele vai ajudar a organizar a zaga – me disse certa vez o então gerente de futebol do clube, Anderson Barros.

Carli jogou pelo Botafogo até quando estava longe

Carli celebra o título carioca do Botafogo em 2018
Joel Carli comemora título carioca de 2018 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Quando saiu do clube em 2020, pela incompetência da gestão Nelson Mufarrej, sempre se posicionou nas redes sociais defendendo o Glorioso. Parecia jogar pelo clube à distância. Ouso a dizer que com ele no grupo o rebaixamento não seria tão certo.

Voltou para atender um desejo próprio. Parcelou dívidas em milhões de vezes para ter o gosto de viver de novo emoções como à da final de 2018. Agora viveu um novo capítulo contra o Ceilândia. Se vai ser titular, se vai jogar muitos jogos não sei. Enfim, isso não importa. Carli é importante para o Botafogo porque é. E ponto final.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas