O Botafogo vem tendo sucesso nas negociações para renovar o contrato dos jogadores revelados nas categorias de base do clube. Exemplos de Caio Alexandre, Marcelo Benevenuto e Kanu. O que todos eles têm em comum: sabem reconhecer o que representa o Botafogo em suas carreiras. Além disso, apostam que o sucesso da transformação do Botafogo em empresa e sabem que isso pode gerar um time mais competitivo. Com Marcinho, ao que tudo indica, o caminho parece não estar tão aberto. Porém, Marcinho vai cometer um grave erro se não renovar com o Botafogo.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

Marcinho surgiu para o futebol no Botafogo. Foi lá que ganhou as oportunidades que precisava para crescer. Tanto que chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira. Agora, em meio a uma lesão, luta para voltar aos gramados. Segundo informações dos dirigentes, seus representantes só querem negociar quando ele voltar a atuar. Porém, quando isso acontecer ele estará livre para assinar um pré-contrato com outro clube. Afinal de contas, ele tem vínculo somente até dezembro.

Caso ele saia não será uma grande perda para o Alvinegro. Apesar da convocação, ainda não se consolidou como um grande jogar. Sequer foi tratado até hoje como titular absoluto. Assim, para o Botafogo a perda pode ser considerada mais financeira do que técnica.

Marcinho pode ter grande perda na carreira

Se para o Botafogo a perda não será grande, Marcinho pode acabar pagando um alto preço. Como ainda não se consolidou como titular do clube que mais conhece, terá que recomeçar com outra camisa. Com certeza sem que tenham com ele a mesma paciência que a torcida teve em vários momentos. Além disso, pode desperdiçar a oportunidade de jogar em um elenco de qualidade caso o clube consiga rapidamente reverter em reforços o projeto de virar S/A.

Espero estar errado de interpretar a demora de Marcinho em negociar com o desejo de deixar General Severiano. Pois se isso for verdade, o jogador pode dar um tiro no pé da própria carreira. O tempo dirá.