Arévalo Ríos é o estrangeiro mais caro da história do Botafogo

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Arévalo Ríos é o estrangeiro mais caro da história do Botafogo
Reprodução

Na última Data Fifa, os clubes que disputam a primeira divisão do Campeonato Brasileiro cederam 18 jogadores para nove das dez seleções que disputam as eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo-2022.

Instagram do FogãoNET (@fogaonet)

O alto número de convocados mostra como os jogadores estrangeiros têm tido cada vez mais espaço nos elencos do futebol pentacampeão mundial. Só uma das equipes da Série A, o Ceará, não conta atualmente com nenhum gringo em grupo de atletas.

A explicação para essa invasão de argentinos, paraguaios, chilenos, colombianos e venezuelanos é econômica.

Como os clubes brasileiros são economicamente os mais poderosos da América do Sul, eles conseguem pagar salários mais altos que seus vizinhos e se aproveitam disso para capturar os talentos que despontam em outros países da região (pelo menos, aqueles que não vão direto para a Europa).

Mas isso não significa que todo estrangeiro desembarca aqui a “preço de banana”. Alguns chegam inflacionados pelo que fizeram em copas Libertadores e Sul-Americana, além de convocações para seleções. Outros ganham preço dentro do próprio mercado interno, ao trocarem de time dentro do próprio Brasil.

Não à toa, o reforço mais caro da história do Palmeiras é um gringo, o centroavante colombiano Miguel Borja, contratado por 9,9 milhões de euros (R$ 62,7 milhões, na cotação atual) do Atlético Nacional em 2017, depois de ser campeão continental.

De acordo com o Transfermarkt, site especializado na cobertura do Mercado da Bola, as maiores contratações já feitas por Corinthians, Internacional e Athletico-PR também são de atletas que nasceram em outros países.

O recorde de estrangeiro mais caro que passou pelo futebol brasileiro já é um pouco antigo e tem 15 anos.

Ainda de acordo com a plataforma, em 2005, o Corinthians pagou o equivalente a 15 milhões de euros (R$ 95,3 milhões) para ter o então jovem candidato a astro argentino Carlos Tevez.

A marca quase foi quebrada pelo Flamengo no ano passado, quando a contratação do meia uruguaio Giorgian de Arrascaeta, que já estava no futebol brasileiro e defendia o Cruzeiro, custou 14,8 milhões de euros (R$ 94 milhões) ao clube.

O “Blog do Rafael Reis” apresenta abaixo um guia completo para você conhecer o estrangeiro mais caro que já passou pelos 13 clubes mais poderosos do futebol brasileiro.

Black friday produtos do FogãoNET para torcedores do Botafogo


Os estrangeiros mais caros da história de cada clube:

CORINTHIANS: Carlos Tevez (ARG, 2005) – 15 milhões de euros
FLAMENGO: Giorgian de Arrascaeta (URU, 2019) – 14,8 milhões de euros
PALMEIRAS: Miguel Borja (COL, 2017) – 9,9 milhões de euros
INTERNACIONAL: Nico López (URU, 2016) – 9,1 milhões de euros
SÃO PAULO: Claudio Maldonado (CHI, 2000) – 8,5 milhões de euros
SANTOS: Christian Cueva (PER, 2019) – 7 milhões de euros
GRÊMIO: Marcelo Moreno (BOL, 2012) – 6 milhões de euros
ATLÉTICO-MG: Yimmi Chará (COL, 2018) – 5,2 milhões de euros
CRUZEIRO: Juan Pablo Sorín (ARG, 2000) – 5 milhões de euros
ATHLETICO-PR: Morro García (URU, 2011) – 4 milhões de euros
FLUMINENSE: Jefferson Orejuela e Júnior Sornoza (EQU, 2017) – 1,7 milhão de euros
BOTAFOGO: Egidio Arévalo Rios (URU, 2011) – 1,4 milhão de euros
VASCO: Santiago Montoya (ARG, 2013) – 1,1 milhão de euros

Fonte: Blog do Rafael Reis - UOL

Notícias relacionadas