Fluminense e Botafogo se enfrentam nesta quarta-feira como dois velhos conhecidos que não se veem há muito tempo e quase já não se reconhecem mais. Na última vez em que disputaram o clássico, no primeiro turno do Brasileiro, as duas equipes viviam momentos distintos de agora, e tinham jogadores diferentes dos que entrarão em campo na Ilha do Governador, às 16h, pelo Campeonato Brasileiro.

Na quarta rodada da competição, os tricolores estavam no início do trabalho de Levir Culpi no clube e ainda contavam com Fred no ataque. Hoje, o treinador já consolidou um bom trabalho nas Laranjeiras, e a função de balançar as redes está mais dividida entre os jogadores. Cícero e Gustavo Scarpa são os artilheiros da equipe no Brasileiro, com cinco gols cada. Marcos Junior é o terceiro da lista, com quatro.

Já pelo lado alvinegro, a principal mudança aconteceu exatamente no comando. Ricardo Gomes saiu do time em agosto, e agora quem tem um treinador em início de caminhada é o Botafogo. Jair Ventura assumiu o time de General Severiano e contou com os gols de Sassá para afastar o alvinegro da zona de rebaixamento. No confronto da quarta rodada, Ricardo Gomes tinha em Ribamar as suas esperanças de gol.

Uma vitória do Fluminense besta quarta pode colocar o time próximo de uma vaga no G-4. Com 34 pontos, os comandados de Levir Culpi estão na oitava posição, enquanto o Corinthians é o quarto, com 37. Já o Botafogo tem 29, na 11ª posição, e pode se aproximar do rival na tabela.

WELINGTON X SASSÁ

Essa será a primeira vez que Wellington enfrentará o Botafogo desde que voltou ao Fluminense. A última vez que ele esteve no clássico foi em 2010, na sua primeira passagem pelas Laranjeiras. De lá para cá, depois de jogar na Europa, o atacante verá um velho conhecido do outro lado do duelo: Sassá. Os dois estudaram no mesmo colégio, e se enfrentarão pela primeira vez.

– Conheço o Sassá, estudamos juntos, desejo sorte, vai ser um jogo bonito. Não gosto muito dessas coisas de aposta. Vai ser um bom jogo, e depois a gente brinca. Estudei com o Sassá, mas ele é um ano mais novo que eu, não pude enfrentar. Será um dia especial para ele e para mim. Está em uma fase incrível, fazendo gol em quase todos os jogos, mas espero que não faça contra a gente – comentou Wellington.

O clássico será também o primeiro de Jair Ventura como técnico do Botafogo. O treinador vem escondendo os treinos para tentar surpreender o adversário em campo. A principal dúvida é na lateral direita. Luis Ricardo teve que operar o tornozelo esquerdo e não poderá mais jogar nesta temporada. O substituto mais provável é Diego.

– Como sou um treinador jovem, Levir (Culpi) não me conhece muito bem. Eu conheço bem ele. A intenção é não passar o time, a parte tática, o sistema… Isso faz diferença. E é sempre bom tentar esconder um pouco. Tudo pode acontecer no futebol. Podemos montar uma estratégia diferente. A gente confia no Diego, mas se ele vai começar a partida aí é diferente. São quatro desfalques, qualquer equipe do mundo sente essa situação, mas confiamos no grupo. Revelar o time só 45 minutos antes do início da partida – afirmou o treinador.

Fonte: O Globo Online