Jefferson reedita heroísmo em pênaltis no seu melhor ano

Compartilhe:

 Mais uma vez heroi nos pênaltis pelo Botafogo, Jefferson vive o melhor ano de sua carreira. O goleiro sofreu em média 0,56 gols nesta temporada, o melhor número pelo clube. Na noite da última quarta-feira, contra o Figueirense, o arqueiro pegou a penalidade que encerrou a disputa que levou o time carioca às oitavas de final da Copa do Brasil.

Jefferson está acostumado a defender pênaltis decisivos para o Botafogo. O mais importante deles aconteceu na final da Taça Rio de 2010, quando pegou a cobrança de Adriano e ajudou a equipe a se sagrar campeã carioca contra o Flamengo com vitória por 2 a 1. O título encerrou uma série de três vices consecutivos para o rival na competição.

Já pela Copa do Brasil, Jefferson foi heroi no ano passado ao defender a cobrança de Léo Rocha, meia do Treze-PB, em disputa de pênaltis pela 1ª fase da competição. Na ocasião, o adversário arriscou uma polêmica cavadinha, detida pelo camisa 1 alvinegro. Após a defesa, o arqueiro se mostrou indignado com a ousadia do rival, que chegou a ser dispensado de sua equipe pela atitude.

“O Jefferson merece, é um grande profissional. Estamos todos juntos aqui. É um time fechado”, disse Seedorf à ESPN Brasil depois do goleiro decidir a classificação contra o Figueirense na última quarta. Antes, o meia havia exaltado o camisa 1. “Monstro, monstro!”, exclamou.

Este ano é o primeiro em que Jefferson tem média de gols sofridos menor que um por partida no clube. Na temporada passada, por exemplo, o número ficou em 1,12 por aparição. Com o goleiro como último homem, o sistema defensivo da equipe é um dos menos vazados em 2013. No Carioca, o time foi o que menos teve sua rede balançada, enquanto no Brasileiro só é pior que o Corinthians no quesito.

Na última semana, Jefferson recebeu homenagem da diretoria por ter completado 300 jogos com a camisa alvinegro. O feito foi alcançado na derrota para o Grêmio por 2 a 1, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro. Antes da atual passagem, iniciada em 2009, o goleiro já tinha vestido a camisa do clube entre 2003 e 2005.

Além do sucesso no Botafogo, o goleiro se firmou na seleção brasileira. Se ainda não conseguiu a sonhada titularidade, o camisa 1 alvinegro já conquistou a confiança de Felipão e esteve no grupo campeão da Copa das Confederações no Maracanã no final de junho. Por enquanto, a tendência é que o arqueiro integre o grupo que participará do Mundial do ano que vem.



Fonte: UOL
Comentários