Jobson entrou para a história do Botafogo ao desempenhar papel decisivo em 2009 e evitar o rebaixamento do Botafogo naquele ano. Com a “faca no pescoço” nesta temporada e sem alternativas por causa de forte crise financeira, o Alvinegro deu nova oportunidade ao polêmico atacante, que passou a ser apontado como fundamental na luta da equipe contra as últimas posições do Campeonato Brasileiro.

Após a derrota para o Santos neste domingo, por 2 a 0, e a confirmada queda para a segunda divisão nacional, Jobson mostrou que não estava preparado para ter tal status. Não só falhou na missão de evitar novamente a queda alvinegra, como perdeu a aura de herói da torcida. Não que ele tenha tido grande parcela de culpa pela queda, mas novas polêmicas e um pênalti perdido contra o Figueirense mancharam a imagem do jogador.

Reintegrado em meados de setembro, Jobson demorou pouco mais de um mês para fazer sua estreia pelo Botafogo. Mas sua participação esteve muito aquém do que diretoria, comissão técnica e torcida esperavam. O time não ajudou, evidentemente. Mas o jogador não conseguiu nem mesmo desempenhar algo próximo do que o torcedor estava acostumado.

Prova disso é que Jobson sequer balançou as redes. Pelo contrário. Com o jogador em campo, o Botafogo teve uma queda gigante na produção ofensiva. Tanto que Wallyson, antes de se machucar, foi o principal nome da equipe, mesmo com o polêmico atacante ao lado.

Como não poderia deixar de ser, Jobson se envolveu em polêmicas nesse pouco tempo de Botafogo. Inicialmente teve que se livrar juridicamente de uma punição por doping na Arábia Saudita, quando defendia o Al-Ittihad. Liberado, ele foi mal até perder o pênalti contra o Figueirense e ser acusado pelo técnico Vagner Mancini de ser irresponsável na forma como bateu.

O jogador não gostou da acusação e os dois discutiram asperamente nos vestiários. No dia seguinte, Jobson concedeu entrevista, pediu desculpas ao torcedor pelo erro e detonou o presidente Maurício Assumpção. “Quando me reintegrei ao grupo, o clube já estava cheio de problemas. Fizeram um monte de m… aqui, o presidente fez uma porrada de m… e vão querer me crucificar porque eu perdi um pênalti?”, indagou o atacante.

Na última semana, ainda faltou a um treinamento e perdeu posição como titular. Tratado como salvador, foi mero espectador da derrota para o Santos, que determinou a queda do Botafogo para a Série B.

Pesa à favor de Jobson o fato dele estar jogando com uma lesão na coxa. Pouco para quem tenta retomar o rumo na carreira após diversos problemas extracampo.

Jobson tem contrato com o Botafogo até junho de 2015. No entanto, não há garantias de que ele continua na equipe. O status junto à torcida, certamente, já não é mais o mesmo.

Fonte: UOL