Seedorf sofre com 2 jogos por semana e critica o calendário

Compartilhe:

Desde que estreou pelo Botafogo, em julho de 2012, Seedorf se tornou referência no time. Com físico invejável, o jogador mostrou na temporada passada que os 37 anos não pesaram em sua trajetória inicial no futebol brasileiro. Mas isso mudou em 2013. O holandês tem apresentado um cansaço excessivo neste ano após entrar no período de dois jogos por semana. Ele admite não estar vivendo seus melhores dias e culpa a maratona pela queda apresentada no Alvinegro. Nesta quarta, o camisa 10 irá novamente ao gramado pelo Alvinegro diante do Cruzeiro, às 21h45, no Mineirão.

O rendimento abaixo do que a torcida se acostumou é comprovado nos números. Nos últimos dois meses, o Botafogo entrou em campo em 14 oportunidades. Seedorf ficou de fora em três deles – um por suspensão pelo terceiro cartão amarelo e outros dois por decisão da comissão técnica. Nos demais confrontos, ele não reeditou as boas atuações, sobressaindo-se apenas contra Vitória, Vasco e Portuguesa.

Desde o início de agosto o que tem se visto é um Seedorf cadenciado e cometendo erros raros para quem acompanha sua carreira. Longe dos holofotes, ele viu alguns de seus companheiros levarem a glória pelos resultados positivos. Vitinho, agora no CSKA-RUS, Rafael Marques Elias e Hyuri brilharam e ajudaram a manter o Botafogo na cola do líder Cruzeiro.

“Tem que ser revisto o calendário, pois é desumano. Ninguém aguenta. Por isso tem tantas lesões. Eu não estou brilhando, mas só consigo atuar tantas vezes por causa do trabalho que é feito aqui dentro. É muito importante. O calendário não favorece o espetáculo. Espero que possa melhorar e que pensem na saúde dos jogadores. O que aconteceu com São Paulo, Santos e outras equipes durante a semana é… Não vou falar o que penso porque dará problema, mas é bem complicado. É desumano”, disse.

Se o rendimento dentro de campo não é o ideal, a frequência com que se coloca à disposição da comissão técnica é considerada alta em relação a outros jogadores experientes, como Juninho Pernambucano e Alex – o holandês atuou em 18 oportunidades, contra 15 do jogador do Coritiba e 12 do vascaíno.

E existe uma explicação para que isso ocorra. O Botafogo adotou uma tática pouco comum após o início da maratona de jogos. Com esquema tático padronizado, o técnico Oswaldo de Oliveira abriu mão de treinamentos com bola durante a semana. Quem inicia a partida como titular dificilmente faz outro exercício a não ser academia.

Seedorf mostra ter preparação ainda mais personalizada. Isso porque mesmo com apenas um jogo durante a semana ele já ‘matava’ alguns treinos no campo para realizar exercícios na academia, enquanto outros titulares participavam normalmente das atividades comandada pela comissão técnica.

Apesar do cansaço evidente, Seedorf está confirmado para enfrentar o Cruzeiro nesta quarta-feira, às 21h45, em Belo Horizonte. Os mineiros são líderes do Campeonato Brasileiro com 46 pontos. Já o Alvinegro ocupa a segunda colocação, com 42.



Fonte: UOL
Comentários