O Botafogo pode precisar repetir o desempenho de 2012 se quiser escapar do rebaixamento. Faltando sete jogos para o término do Brasileirão deste ano, o Alvinegro tem 35 pontos conquistados. O número mágico contra a degola, para boa parte dos matemáticos, é de 46 pontos, embora, pelo que estamos vendo, será possível escapar com menos. Mas como um clube da grandeza do Botafogo não pode dar sopa para o azar é bom começar a pontuar a partir de domingo, diante do Corinthians.

Em 2012 o Botafogo somou exatamente 11 pontos na reta final. Naquele ano o time pior colocado a não ser rebaixado foi a Portuguesa, que ficou com 45 pontos. Na 32ª rodada o Botafogo derrotou o Figueirense por 2 a 0 em Santa Catarina e brigava por uma vaga na Libertadores, o que não se concretizou. Depois o time que tinha Seedorf e era dirigido por Oswaldo de Oliveira goleou o Atlético-GO por 4 a 0 no Rio de Janeiro. Ainda arrancou empate por 2 a 2 com o Palmeiras em São Paulo e fez 3 a 0 na Portuguesa no Niltão. Mas depois perdeu por 2 a 0 para o Sport na Ilha do Retiro e sofreu seu maior baque ao cair por 3 a 2 para o Atlético-MG em casa. A despedida foi um empate por 2 a 2 com o Flamengo.

Desempenho de 2013 garantiu a Libertadores

Um ano depois o Botafogo, novamente com a parceira Oswaldo de Oliveira/Seedorf, finalmente conquistou a vaga na Libertadores, que vinha perseguindo nos anos anteriores. Mas na reta final fez oito pontos em sete jogos, o que quase comprometeu o bom Brasileirão. Na 32ª rodada uma derrota de 1 a 0 para o Goiás, em Goiânia, em um confronto direto. Depois veio uma derrota de 2 a 1 para o Internacional no Rio Grande do Sul e um tropeço em casa: 0 a 0 com a Portuguesa, que serviram para ligar o sinal de alerta.

A goleada de 4 a 0 sobre o Atlético-PR no Maracanã reanimou a equipe, que ficou no 1 a 1 com o São Paulo no Morumbi logo depois. Na penúltima rodada a derrota de 2 a 1 para o Coritiba causou temor. Porém, na última rodada o time fez 3 a 0 no Criciúma e terminou o Brasileiro em quarto lugar. Naquele ano a classificação final apresentou o Flamengo como o pior time a ficar na elite com 45 pontos. Mas o Tapetão entrou em campo e interferiu nesta pontuação.

2014 marcou pior desempenho

De triste memória o Brasileirão de 2014 teve o pior desempenho botafoguense em sete rodadas finais. Apenas um ponto conquistado, no último jogo, um empate sem gols com o Atlético-MG em Brasília. Naquele jogo a degola estava sacramentada. Em 2014 a incompetência botafoguense, liderada por Vágner Mancini e um time abaixo da crítica, ficou visível por que o Palmeiras escapou da queda com apenas quarenta pontos. Antes da igualdade com o Galo o time perdeu para Cruzeiro, Atlético-PR, Fluminense, Figueirense, Chapecoense e Santos, na penúltima rodada, resultado que sacramentou a degola.

Em 2015 o Botafogo estava na Série B, então pulemos para 2016. Naquele ano a reta final apresentou nove pontos em sete jogos. Muito provavelmente esta pontuação sirva este ano caso os comandados de Zé Ricardo nos brindem com boas atuações. O Glorioso, que fez um segundo turno empolgante, arrancou para a vaga na Libertadores sob o comando de Jair Ventura.

Pela 32ª rodada o Glorioso superou o Santa Cruz por 1 a 0 em Pernambuco. Depois, empates sem gols com Coritiba e Flamengo fizeram gerar dúvidas sobre a classificação. O quadro agravou com uma derrota de 2 a 0 para a Chapecoense no Rio e outra de 1 a 0 para o Palmeiras na capital paulista. O empate por 1 a 1 com a Ponte Preta em casa na penúltima rodada só não afastou a vaga por causa do 1 a 0 aplicado no Grêmio, em Porto Alegre, na rodada final. Em 2017 o Vitória evitou a degola com 45 pontos.

Botafogo decepcionou na reta final de 2017

No ano passado o Botafogo deixou a vaga escapar na Libertadores por conta do mau desempenho na reta final. Foram apenas cinco pontos em sete jogos, em uma temporada que o Vitória evitou o rebaixamento com 43 pontos. Na 32ª rodada os botafoguenses perderam de 2 a 1 para o Fluminense de virada. O triunfo pelo mesmo placar, em Pernambuco, sobre o Sport, reanimou a turma de General Severiano. Porém, o que veio depois foram duchas de água fria. Derrotas em casa para Atlético-PR por 1 a 0 e para Atlético-GO por 2 a 1. O 0 a 0 com o São Paulo na capital paulista pouco ajudou. Isso por que o time perdeu por 2 a 0 para o Palmeiras logo depois, também em São Paulo. No fim, um empate por 2 a 2 em casa, contra o Cruzeiro, em um jogo que a vitória daria a vaga.

Fica aí um pouco do que aconteceu com o Alvinegro nos últimos anos. Mas, Matemática à parte, é hora de somar pontos.

Desempenhos nas sete últimas rodadas:

2012 – 11 pontos
2013 – 8 pontos
2014 – 1 ponto
2015 – Estava na Série B
2016 – 9 pontos
2017 – 5 pontos

LEIA TAMBÉM:
O momento do Botafogo pede união
CEP ou Mufarrej? deixo a escolha para depois
Vamos falar de arbitragem?
Botafogo no Brasileirão: o momento da arrancada é agora!
O preço da indefinição: Botafogo já compromete 2019