Um ano e quatro meses depois, o técnico Alberto Valentim vestiu novamente o uniforme do Botafogo. Aos 44 anos, ele foi apresentado nesta segunda-feira e já teve que responder sobre os áudios do ex-presidente Carlos Augusto Montenegro. Valentim não quis polêmica e, em partes, até deu razão ao ex-dirigente no que diz respeito a não ser um técnico de ponta.

– Eu não sou. E eu sei, antes de qualquer dirigente, torcedor ou da imprensa. Estou apenas começando uma carreira. Tenho que trabalhar muito para ser um treinador de ponta – disse o treinador, que volta ao clube para ocupar o cargo de Eduardo Barroca.

O mesmo Montenegro disse também em um dos áudios que Alberto teria uma espécie de prazo de validade, que seria o fim deste ano. Aí o treinador não concordou.

– Eu respeito muito a opinião do presidente Montenegro. Falo de coração aberto. Não mudou em nada minha vontade de vir para cá. Quero trabalhar muito forte e me entregar ao máximo para cumprir meu contrato com o Botafogo até dezembro de 2020 – completou.

Na primeira passagem pelo Botafogo, Alberto Valentim foi campeão carioca e só saiu por causa de uma proposta do Pyramids, do Egito. A empreitada lá não deu certo e, depois de uma passagem pelo Vasco, ele estava lutando para manter o Avaí na Série A do Campeonato Brasileiro.

A negociação pela saída envolveu o pagamento de uma multa rescisória que, segundo o próprio treinador, será paga por ele ao clube catarinense. Pela narrativa de Alberto, o diretor de futebol do Bota, Anderson Barros, fez primeiro o contato com o presidente do Avaí, Francisco Battistotti, antes de sacramentar o acordo com o treinador. De acordo com o vice de futebol do Bota, Gustavo Noronha, o nome de Alberto foi muito bem aceito pelo elenco.

Não dá para tirar do contexto a crise financeira do Botafogo. Mas o discurso do novo técnico é buscar uma melhora do time, mesmo sem trazer novas aquisições ao elenco.

– Precisamos repetir coisas muito boas que já foram feitas aqui no campeonato com o Barroca, uma sequência positiva, aproveitamento melhor do que estamos fazendo agora. Temos, para fugir de qualquer tipo de risco, chegar aos 44, 45 pontos – apontou Valentim.

O primeiro jogo à beira do campo será justamente contra o Vasco, nesta quarta-feira, em São Januário. Além de ter passado por lá, foi justamente o cruz-maltino o último adversário na passagem pelo Avaí.

– Está muito fresco na minha memória o time do Vanderlei – disse o técnico, que na tarde desta segunda-feira comanda o primeiro treino no Estádio Nilton Santos.

Fonte: Extra Online