Após quatro anos, o lateral-direito Luis Ricardo está deixando o Botafogo. Com contrato prestes a encerrar, o jogador já se despediu do elenco e não vai ficar no clube para a próxima temporada.

Com 101 jogos, dois gols e um título (Carioca-2018), Luis Ricardo deu longa entrevista ao site Globoesporte.com avaliando sua passagem e mostrando gratidão ao clube. Confira alguns trechos:

– Cheguei em 2015, na Série B, e eu pude de alguma forma ajudar o Botafogo a subir. Fomos campeões. Éramos eu e o Gilberto (os laterais-direitos) na época. O ano de 2016 foi brilhante, chegamos numa final de Carioca. Conseguimos deixar o Botafogo na pré-Libertadores, foi aonde tive a lesão. O ano de 2016 foi muito bom. Em 2017, fiquei me recuperando. Em 2018, tem aquela sequência de jogos que acabei não tendo. Ia para um jogo e para não ia para o outro, mas não tinha sequência para dar continuidade ao bom futebol. Mas acabamos sendo campeões do Carioca, tivemos uma saída precoce da Copa do Brasil, mas deixamos o Botafogo na Série A. A minha permanência no Botafogo de modo geral foi boa. Um jogador não fica quatro anos no clube se de fato não corresponde. No meu ponto de vista, foi bom – avaliou.

– O Botafogo representa muito para mim. Só pelo fato de passar quatro anos aqui. É uma honra vestir essa camisa e ter lutado por esse clube. Acima de tudo, por ter deixado o Botafogo onde merece. Cheguei aqui com o clube na Série B e pude ajudá-lo de alguma forma a ficar na Série A. É motivo de muito orgulho ter vestido essa camisa.

– A não renovação tem alguns motivos. Para se estar num clube, você precisa estar em alto nível e jogando. Como não tive uma sequência de jogos, isso acaba acarretando em uma não renovação. Mas isso não quer dizer que o Luís Ricardo não é importante ou que Luís Ricardo não foi importante em 2018. Muito pelo contrário. Falando com Zé Ricardo, Valentim, o próprio Felipe Conceição e o Paquetá, eles sempre me queriam no grupo com minha experiência e até com meu futebol. O Márcio estava muito bem, e isso acaba fazendo com que o clube opte por dar oportunidades aos jogadores mais novos. Isso fez com que eu não pudesse renovar com o Botafogo.

Fonte: Redação FogãoNET e Globoesporte.com