Uma decisão judicial de dezembro, já discutida nas redes sociais e em grupos de torcedores do Botafogo no WhatsApp desde então, tomou o noticiário alvinegro nesta segunda-feira, um dia após vitória sobre o Vasco no clássico, a dois dias de jogo decisivo com o Caxias-RS na Copa do Brasil e menos de uma semana depois da contratação de Honda. O blog da Gabriela Moreira, no Globoesporte.com , foi o primeiro veículo da imprensa tradicional a noticiar o caso e deu amplo destaque.

Banner da loja do FogãoNET para faixa japonesa

A notícia é que o juiz trabalhista Bruno de Paula Manzini considera o projeto de clube-empresa do Botafogo uma “fraude” e determinou a suspensão da votação interna do Conselho Deliberativo. Fraude porque, em tese, a Cia. Botafogo é devedora solidária do clube em processos trabalhistas e não pode ter seus ativos (como a concessão do Estádio Nilton Santos e consequente renda de jogos) repassados a terceiros. Um exemplo de credor citado é Reinaldo, ex-Flamengo, que jogou no Botafogo em 2009 e tem como advogado Theotônio Chermont.

A decisão judicial, o advogado e a reportagem não citam uma premissa importante, amplamente divulgada, do projeto do Botafogo: há a previsão de captação de cerca de R$ 300 milhões com investidores exatamente para o pagamento de dívidas de curto e médio prazo. Há outro detalhe ainda mais relevante.

O Botafogo, com cerca de R$ 1 bilhão em dívidas, não tem condições de quitar os compromissos com seu atual modelo de gestão. A Botafogo S/A é a chance real de crescimento de clube, de montagem de time de forte e de – o x da questão – o pagamento de credores.

Por fim, outro detalhe a ser considerado é que as dívidas trabalhistas do clube estão sendo quitadas no Ato Trabalhistas. Quando dívidas são repassadas para a Cia Botafogo, elas de certa forma “furam a fila” e geram insegurança em todos os credores.

Vale citar a explicação de Alexandre Rangel no Twitter:

O diretor-executivo do IBOPE / Repucom José Colagrossi também se posicionou:

O advogado especialista em direito desportivo, Marcos Motta, não acredita que a liminar perdure por muito tempo:

O Botafogo ainda não se posicionou oficialmente e deve soltar nota oficial nesta segunda-feira. Mas pelo visto os botafoguenses não precisam se preocupar: o projeto Botafogo S/A tem tudo para virar realidade e a notícia desta segunda-feira parece ter ganho proporção maior do que deveria.