Aspirantes, segundas, cotas… Textor e os desafios no Botafogo

13 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Aspirantes, segundas, cotas… Textor e os desafios no Botafogo
Reprodução/SporTV

John Textor vem tentando mudar o Botafogo. Além disso e por tabela acaba provocando discussões importantes no futebol brasileiro. Situações que a gente sempre presenciou por aqui e que para boa parte da mídia era normal. Fazia parte da saudável rotina do futebol brasileiro onde boa parte dos dirigentes se acostumou a tentar provocar mudanças para nada mudar. Com a chegada de gente de fora, como Textor, isso vai mudar.

O novo gestor do Botafogo parece não estar satisfeito com o excesso de jogos na noite de segunda. Como vimos na entrevista que deu no “Fala, Fogão”, negou que tenha protestado na CBF. Mas não fugiu do tema. Pelas palavras dele “se estiver chateado com a CBF vai sentar para conversar com ela”. Resta saber como a entidade vai agir daqui para frente. Insistir em favorecer alguns em detrimento de outros pode antecipar a reformulação por aqui. E isso não interessa aos poderosos da CBF. Bom senso é o que Textor parece desejar.

Textor também não deve ter visto com bons olhos a desorganização envolvendo o Campeonato Brasileiro de Aspirantes. No início de abril escrevi neste espaço que a ideia do time B era ótima, mas que não havia calendário aqui para isso. Tirando o Estadual, seria preciso criar torneios de bom nível para as equipes B. A dificuldade em se organizar este torneio de aspirantes mostra que o desafio de Textor é grande.

Textor parece ter paciência

Treino do Botafogo no Espaço Lonier em maio de 2022
Botafogo trabalha de olho no futuro

E falando em desafios, Textor parece estar lidando como poucos com a desigualdade nas cotas de televisão. Ele é um dos que vem apresentando aos demais clubes um mundo muito maior do que o das nossas redes de televisão. Chamou atenção para algo aqui pouco falado, direitos internacionais. Mostrar uma isca gorda é a melhor maneira de fazer o peixe se empolgar. Que o diga os nossos tubarões do futebol brasileiro. O bolo precisa crescer para que as fatias fiquem melhores. Que bom que veio alguém para dizer isso para eles.

Textor vai ter trabalho neste processo de organização. O cenário externo é muito mais complicado que o interno. Mas ele parece ter paciência para dar um passo de cada vez, mesmo com tantas surpresas indesejáveis.

Notícias relacionadas