Luís Castro parece não ter mais dúvidas sobre o time do Botafogo. Mas isso é bom?

55 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Luís Castro em Botafogo x América-MG | Campeonato Brasileiro 2022
Vítor Silva/Botafogo

O Botafogo que empatou sem gols com o América-MG em novo tropeço em casa abriu mão de uma arma importante para tentar vencer o jogo: o banco de reservas. Jogadores como o volante Danilo Barbosa e o atacante Luís Henrique, por exemplo, poderiam ter ajudado no segundo tempo, entrando mais “descansados” do que o time rival. Mas a justificativa do treinador foi que ele quis dar estabilidade ao 11 inicial que vem se repetindo. Assim Luís Castro parece não ter mais dúvidas sobre o time do Botafogo. Mas isso é bom?

MAIS! Volta de Pedro Raul pode corrigir injustiça no Botafogo

Se formos abrir aqui uma votação sobre qual mo melhor time do Botafogo hoje, talvez a imensa maioria vai montar uma formação bem semelhante ao que vimos diante do América-MG. Gatito Fernández voltou a transmitir segurança, Adryelson e Víctor Cuesta estão tornando a zaga sólida e Marçal dominou a lateral esquerda. Lucas Fernandes e Eduardo deram ritmo ao meio e o trio de frente hoje, analisando condições físicas, é o que há de melhor.

MAIS! Botafogo avança para renovar com Joel Carli

Tchê Tchê ainda gera discussões. Mas vem crescendo a cada jogo. O Botafogo tem poucos marcadores em seu elenco e isso não parece uma deficiência de montagem de elenco. E sim uma opção.. Castro não curte volantes ao estilo cão feroz.

Lateral direita é a maior desconfiança

Saravia vem deixando muito espaço Foto: Vitor Silva/Botafogo.

A lateral direita é hoje a posição que mais gera desconfianças. Saravia tem muita luta em campo, quando quer é uma boa peça ofensiva, mas deixa muitos espaços. Em um esquema com apenas três meias e pouca marcação no setor, o argentino exige um esforço a mais da dupla de zaga. Hoje é o disponível do setor. Mas com Rafael e Daniel Borges à disposição isso talvez mude.

MAIS! Deve ter algo muito bom guardado para Rafael no Botafogo

A convicção de Castro é positiva. Dar entrosamento e ritmo a um 11 que considere ideal é algo que a gente mesmo cobrava aqui neste espaço. Entretanto isso não significa deixar de rodar o time durante os jogos. Ainda mais aqueles que exigem muito fisicamente. Disso não dá para abrir mão.

Notícias relacionadas