Botafogo e o tão sonhado bilhete premiado da loteria

92 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Botafogo e o tão sonhado bilhete premiado da loteria
Vitor Silva/Botafogo

Outro dia conversando com um amigo botafoguense ele usou uma frase que realmente se encaixa no cenário atual. O torcedor do Botafogo está vivendo a sensação de um sujeito que ganhou o bilhete premiado da loteria. Mas não consegue gastar o dinheiro. Essa é a sensação diante de uma janela em que se esperava muito mais do que está pintando, embora ainda tenha tempo para novas contratações. Entretanto é preciso entender que o processo é sim de evolução e que as coisas não vão acontecer de uma hora para outra.

MAIS! Botafogo vai errar se não investir em goleiro

Depois de muitos anos o Botafogo entra em uma janela com dinheiro. Mas a realidade atual do futebol mudou muito. Não basta apenas ser rico ou ter uma história gloriosa. Ter tradição e ser um clube vitorioso também não contam tanto. É preciso estar em um ritmo de competitividade alto e quase sempre na vitrine. Um exemplo disso estamos vendo na janela do futebol argentino, onde Boca Juniors e River Plate sofreram por conta da eliminação precoce nas oitavas de final da Copa Libertadores.

MAIS! Alterações de Botafogo x Galo falam muita coisa

Acertado com Luis Suárez, o River Plate viu o uruguaio desistir por conta da eliminação. O Boca Juniors também perdeu algumas paradas no mercado da bola por conta disso. E estavam com dinheiro para pagar a conta apesar da crise econômica argentina. O Botafogo precisa voltar aos torneios internacionais.

Textor percebeu o modelo certo da reconstrução

Entrevista de John Textor, coproprietário da SAF do Botafogo, ao SporTV
John Textor vai avançando aos poucos na reconstrução alvinegra

John Textor sentiu isso na pele. Os chamados craques de 2% de chances que ele fala não vieram. E não é porque o Botafogo não tem dinheiro, não é gigante, não tem um nome no futebol. É porque não está ainda em um nível de competitividade que o faça disputar os títulos que tanto deseja. Por isso é preciso aos poucos ir montando um time e não apostar em grandes astros. Textor parece ter percebido isso.

Com Marçal, com Eduardo, com Luís Henrique e com outros reforços que estão vindo o Botafogo já vai ser um time melhor do que foi no primeiro semestre. E será ainda mais forte em 2023. Aos poucos a história vai sendo reconstruída.

MAIS! Eduardo tem veia de artilheiro e pode ajudar resolver problemas

A torcida botafoguense vem aos poucos percebendo as etapas de reconstrução. Apoiando o time que tem mostrado espírito de luta e colocando junto com os dirigentes um tijolo de cada vez na construção. A hora botafoguense vai chegar em breve. Não se conserta 30 anos em seis meses. Em breve vai dar para usar o bilhete da loteria.

Notícias relacionadas