Existem momentos na vida que pagamos o preço pela falta de experiência. No futebol isso está ficando cada vez mais visível com a aposta dos clubes pelas novas gerações. E não vai nenhuma crítica nisso. Inclusive porque em alguns momentos não há muita opção por conta do aspecto financeiro. Há segundos em uma partida que treinadores, tops nas categorias de base, mas ainda garotos no futebol profissional, precisam tomar uma decisão de maneira rápida. E muitas vezes cometem equívocos. Foi o que mais uma vez aconteceu com Eduardo Barroca na derrota de 1 a 0 do Botafogo para o Santos.

O Botafogo foi mal no primeiro tempo com o Santos. Aliás, cometeu o mesmo erro que vem cometendo: toca muito a bola, valoriza a posse dela, mas não consegue criar. Alex Santana, incomodado, vinha tentando impor alguma velocidade. Teoricamente, era o único que não poderia ser sacado no intervalo. Foi justamente quem saiu. Cícero, figura nula durante todo o confronto, permaneceu até o fim. O jovem treinador ficou com medo de trocar no intervalo o medalhão?

Depois, com o adversário jogando com um homem a menos, Barroca pensou que precisava atacar mais. Rodrigo Pimpão passou a ocupar o posto de Luiz Fernando. O Botafogo perdia de vez ali o meio-de-campo. Prova disso é que, mesmo com um mais, conseguia ficar vulnerável em seu sistema defensivo, como no lance que originou a injusta expulsão de Gilson.

Heber Roberto poderia se aposentar

Por falar em Gilson, em um momento em que se discute aposentadoria, poderíamos perfeitamente conceder este benefício a Heber Roberto Lopes. Era constrangedor a maneira incomodada como ele se comportou por ter deixado o Santos com um a menos. Parecia sentir que estava interferindo na partida apenas por cumprir seu papel. O resultado, foi o normal nos jogos apitados por este senhor: lambança. Tentando ficar bem com todo mundo, acabou contribuindo para o placar final.

Os erros de Heber devem ser lembrados sim. Pois se não fosse isso muito provavelmente o jogo, na pior das hipóteses para o Botafogo, terminaria sem gols. Mas eles também não podem esconder os equívocos de Barroca. E aqui não vai nenhuma caça ao bruxo. Ele deve permanecer no posto e com certeza tende a aprender com seus próprios erros. Mas enquanto isso o Botafogo, em algumas ocasiões, vai pagar um preço caro.

LEIA TAMBÉM:

Diego Souza precisa tomar cuidado para não ficar mudo
Botafogo é um herói no Campeonato Brasileiro
Botafogo: falta de negociações na janela gera desespero
No Botafogo de Mufarrej até o certo é feito de forma errada
Mendonça deveria servir de exemplo para Mufarrej
Até que ponto o elenco do Botafogo está certo no protesto contra o atraso nos salários?
Renovações de contratos: Botafogo prioriza Pimpão e Cavalieri. Gilson e Alan Santos em análise
Moreira Salles no Botafogo: clube já viveu épocas douradas