Botafogo tem novo fantasma pela frente na Série B em dia de reencontro

69 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Rafael Navarro - Náutico x Botafogo - Série B
Tiago Caldas/Náutico

O Botafogo vai enfrentar mais um fantasma na Série B do Campeonato Brasileiro. E olha que o time de Enderson Moreira tem derrotado todos eles até aqui. O fantasma em questão é o Náutico, que lhe impôs a primeira derrota no torneio e abriu a pior fase do Glorioso na competição. Um ingrediente torna o jogo especial. Marcelo Chamusca vai reencontrar o Alvinegro, mas na condição de treinador do time pernambucano.

No dia 20 de junho o Náutico venceu por 3 a 1 nos Aflitos. O time, então dirigido pelo técnico Hélio dos Anjos, contou com falhas da arbitragem para vencer. A perda dos três pontos seria o que menor dos problemas para Marcelo Chamusca. Ali começaria a pior fase do Glorioso na Segundona.

Logo em seguida o Botafogo perdeu para o Sampaio Corrêa por 2 a 0, em outro roubo escandaloso. O triunfo de 1 a 0 sobre um Vitória afundado na zona de rebaixamento apenas aumentou as desconfianças sobre Chamusca. O time ganhou com um gol espírita de Chay.

Aí veio empate com Avaí e derrota para o CRB. Um empate com o Cruzeiro em casa selou o destino do treinador. Mas até o jogo contra o Náutico o Botafogo vinha cumprindo a lição do acesso. Ganhou os dois jogos em casa e empatou os dois fora.

Mochilas, bolsas e carteiras da coleção FogãoNET da Estilo Piti

Botafogo hoje é outro time na Série B

Marcelo Chamusca - Náutico
Marcelo Chamusca hoje está à frente do Náutico

Diante do Náutico, naquela ocasião, o time formou com Douglas Borges, Warley (Daniel Borges), Kanu, Gilvan e Paulo Victor; Luis Oyama, Pedro Castro (Rafael Moura), Marco Antônio (Felipe Ferreira), Chay (Diego Gonçalves) e Guilherme Santos (Barreto); Rafael Navarro.

Se formos comparar com a equipe considerada hoje titular, Diego Loureiro deu mais segurança a uma defesa liderada, agora, por Joel Carli. Daniel Borges e Carlinhos passam tranquilidade nas laterais. Warley, bem orientado, é outro jogador. Diego Gonçalves e Barreto cresceram demais. Assim no sábado, neste reencontro, o Botafogo tem que eliminar mais um fantasma.

Notícias relacionadas