O Botafogo segue na sua luta para anunciar um meia e um atacante no recesso do Campeonato Brasileiro para a disputa da Copa América. O nome de Biro Biro é quem está mais próximo do acerto, o que deve acontecer tão logo o jogador passe pelos exames médicos. Porém, ele está longe de ser uma unanimidade entre os dirigentes do Alvinegro.

Não existe dúvidas no clube sobre a qualidade do atacante, de 24 anos. O que tem preocupado é a falta de ritmo de jogo e seu pouco aproveitamento no São Paulo. Pelo Tricolor paulista o atleta entrou em campo apenas duas vezes neste primeiro semestre.

Os defensores da chegada de Biro Biro alegam que não existem muitas opções no mercado. Os que não o enxergam como uma boa lembram que não existe folga no orçamento para tiros incertos.

Recentemente o clube apostou em Victor Rangel, que defendeu o CRB. O jogador ainda não estreou, mas vem demonstrando muita vontade nos treinos. Porém, aos 28 anos e com uma trajetória pouco empolgante, é difícil acreditar que ele seja solução.

Alan Ruiz é oferecido

Quem foi oferecido recentemente ao Botafogo foi o meia Alan Ruiz, de 25 anos. O argentino tem os direitos federativos ligados ao Sporting de Portugal, que não deseja a sua permanência. O Alvinegro não avançou nas negociações, embora exista um lobby interno pelo acordo.

Alan Ruiz entrou poucas vezes em campo nos últimos anos. Atuou em 2018 pelo Colón, porém, jogou em apenas uma partida. Depois seguiu para outro clube argentino, o Aldovisi, também sem sucesso. No futebol brasileiro ele teve passagem pelo Grêmio em 2014, marcando cinco gols em 40 jogos.

A pouca presença do argentino em campo é o que deixa o Botafogo pouco motivado a levar a negociação adiante.

LEIA TAMBÉM:

Saída de Ferrareis abre espaço para volta de Marcos Vinicius ao Botafogo
30 anos do fim do jejum: Espinosa sabia que o Botafogo só seria campeão se fosse invicto
30 anos do fim do jejum: a campanha, o elenco e curiosidades do título
30 anos do fim do jejum: Mauro Galvão destaca força mental do Botafogo
30 anos do fim do jejum: Luisinho se negou a deixar o Botafogo até ser campeão
30 anos do fim do jejum: Emil Pinheiro montou o Botafogo campeão de 1989
30 anos do fim do jejum: Botafogo promove festa nesta sexta
Mercado da bola me faz lembrar de Emil Pinheiro
Moreira Salles no Botafogo: clube já viveu épocas douradas